Cultivando a Igreja

Cultivando a Igreja

Trabalhar para Deus é estar atento à Sua voz e estar disposto a ir aonde Ele mandar. Viver pela fé é uma das aventuras mais emocionantes que um ser humano pode experimentar e foi assim que escolhemos viver. Exercíamos nosso ministério em Taubaté-Tremembé em 2001 quando recebemos o chamado de Deus para plantar uma igreja adventista de língua portuguesa em Carolina do Norte, Estados Unidos. A princípio ficamos apreensivos e ao mesmo tempo emocionados com a oportunidade de servir a Deus em outro país. Começamos a orar para saber qual era a vontade de Deus para nossas vidas. Meu esposo Dário era pastor de cinco igrejas em Taubaté, SP e eu era professora, mas no momento estava em casa cuidando do nosso filhinho. Tudo estava indo muito bem. Nosso filho Andrews era da idade de dois anos na época.

Começamos a nos organizar para o desconhecido quando uma trágica notícia abalou o mundo – a queda das torres gêmeas em 2001. Logo depois, um dos pastores responsáveis pelos projetos de plantação de igreja nos Estados Unidos nos aconselhou a aguardar, pois o país vivia um momento muito delicado. Aguardamos em silêncio para saber qual seria a vontade de Deus. Logo em seguida fiquei grávida da nossa filha Náthalie e nos meses seguintes passei muito mal com enjoos. Mal conseguia levantar da cama para preparar comida. O tempo foi passando e então recebemos um chamado para ministrar em Rio Claro, SP. Mudamo-nos e estávamos muito felizes exercendo nosso ministério naquela região. Morávamos numa casa linda e os irmãos eram simplesmente fantásticos.

Então um sonho nasceu no nosso coração. Queríamos servir melhor a Deus e expandir nossos horizontes. Meu esposo sonhava em fazer o mestrado na Andrews University em Michigan, mas os custos iam muito além das nossas condições. Oramos pedindo que Deus nos mostrasse Sua vontade. Passaram-se dois anos e novamente foi-nos colocada a possibilidade de plantarmos uma igreja de língua portuguesa na Flórida, Estados Unidos. Seria um passo de fé. Teríamos uma ajuda mensal, mas teríamos que completar o salário fazendo outra coisa. Oramos muito! Tínhamos um filho de quatro anos e meio e uma filhinha de um ano e meio. Sabíamos que muitos desafios estavam pela frente. Confesso que tive medo! As promessas de Isaías 45:2 nos animaram a prosseguir e confiar em Deus para essa grande mudança. Por que duvidar se Deus estava nos prometendo ir à frente, aplainar as montanhas e quebrar as trancas de ferro?

Eu irei na sua frente
Aplanarei as montanhas;
Arrebentarei os portões de bronze
E quebrarei as suas trancas de ferro.
Isaías 45:2

Batismo da sua filha, já em Toronto.

Então vendemos tudo e nos despedimos dos nossos queridos irmãos e familiares. Com poucas malas partimos rumo ao desconhecido. Desembarcamos em Fort Lauderdale em dezembro de 2003. Meus sogros e cunhada que moravam lá por alguns anos, amavelmente nos receberam e cuidaram muito bem de nós nestes momentos tão cruciais de adaptação em um país diferente. Sabíamos que estaríamos com eles por pouco tempo e logo estaríamos partindo para nossa missão em uma outra cidade.

Algo que ficou na minha memória foi um sonho que tive logo que chegamos. Sonhei que nossa família estava viajando de moto com uma carrocinha conectada atrás onde estavam as crianças. Viajávamos em alta velocidade e quando parámos vimos que uma das crianças havia se perdido. Acordei muito angustiada e fiquei pensando muito no significado deste sonho. Logo tudo fez sentido para mim. Entendi que nesta jornada, nossos filhos eram o nosso dom mais precioso. Estando em outro contexto com tantas novidades e demandas, poderíamos perder o foco das coisas mais importantes e negligenciar nossos filhos. Isso poderia nos causar muita angústia no futuro e tudo perderia o sentido. Por isso, nos anos que se seguiram procuramos estar atentos às prioridades dos nossos filhos e conduzi-los nos caminhos do Senhor.

Refletindo sobre nossa experiência, posso dizer às famílias que imigram para outro país que é preciso manter o foco e estabelecer prioridades. Colocar Deus em primeiro lugar e gerenciar bem sua família são aspectos essenciais a serem buscados. Infelizmente, muitas famílias que imigram perdem o foco dos seus objetivos e se preocupam tanto em ganhar dinheiro que se esquecem do seu bem maior – a sua família. É preciso passar tempo com Deus e com sua família e investir nos relacionamentos. Sem isso, tudo perde o sentido!

Logo foi-nos apresentada a linda cidade onde moraríamos e o grande desafio foi colocado em nossas mãos. A cidade de Sarasota fica na costa sudoeste do estado da Flórida nos Estados Unidos, e é banhada por lindas praia! O clima é quente e úmido. Na época, muitos brasileiros haviam imigrado para lá em busca de uma vida melhor. O nosso desafio seria plantar uma igreja adventista do sétimo dia de língua portuguesa naquele lugar e atrair pessoas a Jesus. Havia um grupo bem pequeno de brasileiros que se reuniam numa salinha da igreja americana e lá fomos apresentados. No início, morávamos em Fort Lauderdale e íamos todos os finais de semana para lá. Depois, mudamos para Sarasota para que melhor pudéssemos exercer nosso ministério.

Muitos eram os desafios, mas grandes eram as bênçãos também. Meu esposo era part-time e tinha que fazer outros trabalhos para ajudar na manutenção. Possuindo a habilidade de informática, ele passou a fazer manutenção nos computadores dos brasileiros que lá moravam. Teve a oportunidade de conhecer muitos dos nossos conterrâneos e aproveitava cada oportunidade para testemunhar e atraí-los para Jesus. Instalava em seus computadores, a Bíblia e muitos outros livros, além de estudos bíblicos e o link da Novo Tempo. Ouvia suas histórias de luta, orava com eles e os convidava para ir à igreja. Ele também aprendeu a pintar e a fazer pisos de madeira. Usava essa oportunidade para conviver com os imigrantes brasileiros e hispanos e testemunhar de Jesus. Durante a semana, ele convivia com eles e os convidava para ir à igreja. Tínhamos um culto evangelístico aos domingos à noite e no domingo à tarde ele passava e levava essas pessoas que conhecia durante a semana para a igreja para ouvir a verdade. Aproveitávamos cada oportunidade para conviver com eles e testemunhar. Fazíamos pequenos grupos durante a semana e pic-nics aos domingos à beira das lindas praias. Era muito gostoso e ao mesmo tempo desafiante.

Lembro-me de uma brasileira que mudou para a cidade de Tampa, uma cidade que fica a 61 milhas de Sarasota. Ela nos ofereceu a sua casa para fazer um pequeno grupo de estudo da Bíblia às sextas-feiras à noite. Quando lá chegamos encontramos o seu apartamento cheio de pessoas esperando para ouvir a Palavra de Deus. Ainda me recordo de uma das perguntas feitas no início do estudo: Por que eu preciso de Jesus para me salvar? Só crer em Deus não é o suficiente? O Espírito Santo respondeu através de S. João 14:6: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai, senão por Mim”. Continuamos a nos reunir e ali fizemos muitos amigos. As pessoas vinham com sede de ouvir a Palavra e compartilhar as experiências da semana. Somente a eternidade nos revelará os resultados deste trabalho. Foi uma experiência marcante!

Comemoração do aniversário do Dário em 2018, Toronto.

Deus tem maneiras extraordinárias de confirmar a sua vontade em nossas vidas. Já estávamos em Sarasota há mais de um ano quando uma família brasileira começou a frequentar a nossa igreja. O mais interessante é que essa família veio exatamente da cidade de onde havíamos saído – Rio Claro. Ouviram falar da igreja através de uma rádio local quando estavam no Brasil e algumas vezes frequentaram a mesma igreja de onde saímos no Brasil. Tiveram estudos bíblicos e decidiram se batizar. Meu esposo oficiou o batismo dos quatro membros de sua família no mar em Sarasota. Essa foi mais uma confirmação de Deus para o nosso ministério naquele local. Em nosso primeiro batismo, duas famílias selaram a sua vida com Jesus.

Em meados de 2007 uma crise financeira abalou os EUA. Os imigrantes começaram a enfrentar problemas com falta de emprego e outros desafios relacionados com a imigração. O Mercado imobiliário quebrou e muitos perderam suas casas. A Flórida foi um dos Estados que mais foi atingido. Os brasileiros, sendo imigrantes, também sofreram muito com isso. Eram frequentes os casos de prisão e deportação. Muitos voltaram sem nada para seu país de origem. Outros, mudaram-se para outros Estados onde havia mais disponibilidade de emprego e mais facilidade para tirar a carteira de motorista. Somente pessoas legais no país podiam ter sua carteira de motorista. Isso limitava muito com relação a emprego e outras coisas mais.  Assim, nosso número de membros ficou muito reduzido. Os poucos que restaram ainda tinham planos para voltar para o Brasil ou mudar para outro Estado.

Por esse tempo, nosso visto de missionários estava para vencer. Colocamos nossas vidas perante Deus e também o nosso sonho de estudarmos e nos prepararmos para servi-lo melhor! Seria esse o momento certo? Jejuamos e oramos para sabermos qual seria a vontade de Deus. Não tínhamos o dinheiro suficiente, mas aplicamos para a Andrews University, situada em Michigan, e a resposta veio positiva. Começamos a nos preparar para o novo desafio.

(Continua)

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.